Em Foco / Nacional / Pessoas

Quando o benefício passa a vício

Correr na passadeira, fazer musculação ou participar em aulas de grupo no ginásio deixou de ser opção para muitas famílias. Mas não poder pagar as mensalidades não é sinónimo de sedentarismo.

O verão está à porta e com ele o bikíni. A preocupação com o físico faz com que nesta altura haja uma corrida aos ginásios, mas há quem venha a ter essa atenção ao longo do ano.

Há cada vez mais pessoas a praticarem desporto, mas devido à crise, há um aumento significativo do número de pessoas que troca o ginásio pelas actividades ao ar livre, ainda assim, há quem não troque a academia de treino por nada.

“Não imagino a minha vida sem o ginásio. Venho aqui 5 a 6 vezes por semana, durante duas horas e meia por dia, para além disto tenho um ginásio em casa, com máquinas e bicicleta, no entanto nada se compara ao ambiente de um ginásio.”

Foi à porta do G.C.P que encontramos o Sérgio Pais, este estudante de 21 anos começou a frequentar o ginásio quando tinha apenas 15 anos.

Quando questionado se trocaria o ginásio por actividades ao ar livre, Sérgio não hesitou na resposta – “Se ao ar livre houvessem máquinas com qualidade e a harmonia que se encontra no ginásio trocaria, mas sinceramente acho difícil isso acontecer, pois o ginásio tem uma energia diferente. Encontramos pessoas conhecidas e desconhecidas e isso completa-nos, é uma inter e intra ajuda constante.”

Para além de ser presença assídua na sala de musculação, Sérgio faz aulas de fitness, natação, boxe, capoeira e acaba o dia na sauna. Fora de quatro paredes joga futebol e corre.

A actividade física, quando bem regulada, só trás benefícios, sejam eles mentais ou físicos.

O exercício aumenta a auto-estima, melhora a postura, ajuda na recuperação de doenças e claro, é uma mais valia no controlo do peso.

Mas apesar de todos os benefícios pode tornar-se um vício.

“Os limites do corpo não devem ser desrespeitados e muitas vezes são. O exercício físico em excesso pode provocar lesões musculares graves ou mesmo doenças cardíacas”, alerta Ana Saltão, professora de Step e Localizada. “As pessoas obcecadas pelo próprio corpo – os vigoréticos – encontram-se muitas vezes dentro deste grupo de risco. É importante que haja sempre o acompanhamento de um profissional para garantir que as atividades praticadas sejam saudáveis e não causam nenhuma lesão” acrescentou.

O que é a Vigorexia?

Também conhecida como a doença da vaidade, esta doença caminha de mãos dadas com a bulimia e a anorextia, este transtorno psicológico tem como principal objectivo o aumento da massa muscular. Os vigoréticos são pessoas que nunca se consideram suficientemente musculadas, fazem exercício compulsivamente, passam mais tempo na sala de musculação do que na própria casa.

Apesar de ser largo o número de apaixonados por ginásios ou “maníacos do desporto”, contas recentes da associação do sector afirmam que 20% dos ginásios em Portugal correm o risco de fechar.

gym

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s