Nacional

Drogas 2013: mais oferta e mais mortes entre jovens europeus

O consumo de drogas é uma das principais causas de morte entre os jovens europeus. Além disso, em 2012, 73 novas substâncias psicoativas entraram no mercado. Estas são duas das conclusões do Relatório Europeu sobre Drogas 2013, divulgado esta terça-feira em Lisboa.

Em 2012 morreram mais de 40 jovens por causa das novas drogas (Fotografia de: www.cambio.com.co)

Em 2012 morreram mais de 40 jovens por causa das novas drogas
(Fotografia de: http://www.cambio.com.co)

A crise é apontada como uma das responsáveis pelo aumento do consumo de droga a nível europeu. Em 2012, o consumo de substâncias psicoativas foi uma das principais causas de morte entre os jovens.

Segundo o Relatório Europeu sobre Drogas 2013, a taxa de mortalidade (provocada direta ou indiretamente, por overdose ou doenças associadas ao consumo) rondou os 1 a 2% por ano. A agência europeia de informação sobre este problema (EMCDDA), registou 6.500 casos de overdose no último ano, ainda assim, o número desceu face a anos anteriores.

73 novas drogas num só ano

2012 bateu recordes quanto à entrada de novas substâncias psicoativas no mercado. Todos os anos surgem novas drogas, mas, segundo o Relatório Europeu, não tantas como no ano passado.

Segundo o Público, a comissária europeia para os Assuntos Internos, Cecilia Malmström, fala de “uma oferta imparável de novas drogas”.

Novas drogas sintéticas

A par das tradicionais drogas – heroína, cocaína e cannabis – existe, segundo o Público, “um mercado emergente de estimulantes que se mostra cada vez mais complexo e que é potenciado pela internet e pelas novas tecnologias”.

Entre as 73 novas substâncias descobertas em 2012, 30 são canabinóides sintéticos, que imitam os efeitos da cannabis.

Novas drogas fazem mais de 40 mortes na Europa

Duas destas novas drogas foram associadas a mais de 40 mortes na Europa. Uma delas é a 4-MA, um estimulante vendido como anfetamina no mercado das drogas ilícitas; a outra, a 5-IT tem efeitos estimulantes e alucinogénios e é vendida tanto em mercados “legais” como nos ilegais.

Legislação em Portugal

Grande parte destas substância é produzida na China e na Índia e importada para a Europa.

Em Portugal, desde o dia 18 de abril passou a ser proibido, segundo explica o Público, “produzir, importar, exportar, publicitar, distribuir, vender, deter ou disponibilizar as novas substâncias psicoativas que eram comercializadas nas smartshops“. Antes desta lei, estavam registadas 40 smartshops em Portugal.

Crise faz aumentar o uso de drogas para aliviar sofrimento

Segundo a agência Lusa, a crise financeira está a levar os portugueses a usarem mais drogas para aliviar o sofrimento, como a heroína e o álcool.

João Goulão, que preside o conselho de administração do observatório europeu, disse à Lusa que se tem notado “um decréscimo nas substâncias mais associadas ao ambiente recreativo e algum recrudescimento do uso saquelas que estão mais ligadas ao alívio do sofrimento”.

O relatório Drogas 2013 compilou os dados do Observatório Europeu da Droga e Toxicodepenência (OEDT), que agora se designa EMCDDA.

Patrícia Silva

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s