Em Foco

Um caminho diferente

Biggie e Landim, como são conhecidos no mundo artístico, começaram a cantar simplesmente porque sim, o rap sempre fez parte das suas vidas. Um dia experimentaram cantar num estúdio e não quiseram mais nada.

“Comecei a cantar porque vi que era uma maneira de expressar as coisas que andavam pela minha cabeça” diz Fábio, mas conhecido por Biggie. O rap faz parte do seu dia-a-dia, diz que ouve rap porque as letras têm muitas mensagens com que se identifica e isso fá-lo querer ouvir ainda mais e explorar cada vez mais o rap.

Começou a cantar há cerca de um ano, um dia quiz experimentar e viu que até tinha jeito.

Landim já canta há mais tempo, desde 2006, sempre foi um ouvinte assíduo de rap e, um dia, no estúdio de uns amigos decidiu gravar uma música e desde ai que não conseguiu parar mais.

529666_530772813611569_475996929_n

Landim durante um dos muitos concertos que já deu.

“O rap torna o meu dia-a-dia completamente imprevisível e desde que me tornei num “rapper”, a minha vida mudou, agora os focos são outros”.

A música é cada vez mais uma forma de tirar os jovens, mais desfavorecidos, das ruas. Ao estarem ligados ao mundo da música, a criar e a consumir musica todos os dias para outros ouvirem, não vão ter tempo para pensar no crime. O crime é sempre o caminho mais fácil para aqueles que pouco ou nada têm.

Biggie e Landim moram no Casal de São José, um bairro social em Mem-Martins. Como qualquer outro bairro tem os seus problemas. Roubos e muita droga fazem parte da vida destes jovens.

São poucos os que conseguem acabar os estudos, quer por problemas familiares, financeiros ou sociais. Muitos começam a trabalhar cedo para conseguirem ajudar os pais com as despesas da casa e muitos outros são agarrados pela vida do crime.

Estes jovens vêm na música, no rap, uma maneira de se desviarem de caminhos mais obscuros, apesar de a música guiá-los por um caminho onde o retorno financeiro é pouco, faz com que não se percam na vida.

“Não digo que a música tire os jovens das ruas, mas posso dizer que a música pode mudar vários pensamentos, pode dar vários ensinamentos. A música faz com que não te refugies na solidão, deixa-te sempre disposto a algo. O que a música dá-me, não é o mesmo que o crime, a música dá-me uma paz inexplicável, faz-me viajar sem sair do mesmo lugar, faz-me rir quando estou mais em baixo”, conta-nos Biggie.

Biggie sonha poder viver da música um dia. (fonte: Fitchabrokarecords)

Biggie sonha poder viver da música um dia.
(fonte: Fitchabrokarecords)

Já o crime é algo diferente, não sendo o caminho mais correto, é o mais fácil para ganhar dinheiro. Porém a música tem sido uma mais-valia para Biggie e Landim, como para muitos outros jovens.

O sonhos deles é um dia poderem viver somente do que a música lhes dá e, também, conseguirem mudar muitas mentes vazias que vagueiam as ruas de Portugal.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s