Internacional

Novas propostas de redução de CO2 nos automóveis podem gerar empregos

Empresas apresentam propostas de redução de CO2 nos carros(Fonte:todaprosa.blogspot.com)

Empresas apresentam propostas de redução de CO2 nos carros
(Fonte:todaprosa.blogspot.com)

De acordo com um estudo feito por duas consultoras internacionais, a Cambridge Econometrics e a Ricardo – AEA, existem formas de se poder reduzir as emissões de CO2 dos automóveis trazendo benefícios à União Europeia, já que se poderá criar mais de 400 mil empregos e baixar o custo global dos automóveis em milhões de euros até 2030.

Segundo o estudo, em 2009 foi anunciado na Comissão Europeia um regulamento em que os veículos de passageiros não podiam ultrapassar a marca dos 95gramas de CO2 por quilómetro e em 2011 os valores situavam-se bastante acima do esperado, em 136gramas por quilómetro (g/km).

Este estudo apresentou duas opções que poderiam ser usadas para alterar a situação actual, uma das soluções dessas propostas é uma meta para ser cumprida até 2020 e depois desse ano as emissões vão descer mas num ritmo baixo até aos 85g/km para os veículos ligeiros e 129g/km para os pesados, em 2030. A outra proposta é mais ambiciosa e mais longa, já que envolverá a indústria automobilística, atrasando os resultados desejados. Esta proposta faz com que em 2020 as emissões ainda sejam altas com 90 g/km, mas que nos seguintes 10 anos haja uma melhoria significativa chegando-se aos 60g/km nos ligeiros e 99g/km nos pesados.

Para ambos os projectos, o custo de produção no sector automóvel irá subir, mas a factura dos combustíveis descerá. O estudo apresentou que com o desenvolvimento da maquinaria necessária para a construção dos automóveis, aumentará o preço médio de um carro em 1000 e 1100 euros, mas em compensação o condutor irá pagar menos 400 euros por ano em combustível.

Outro ponto favorável será a criação de mais postos de emprego na área, já que fazer uma construção em massa de carros mais eficientes irá criar mais empregos nas fábricas para a construção de novas peças para os automóveis. O estudo feito pelas consultoras refere que serão criados cerca de 356 mil postos de emprego no primeiro caso apresentado e 443 mil no segundo.

A Cambridge Econometrics e a Ricardo – AEA aguardam até esta quarta-feira pela votação do Parlamento Europeu que decidirá se a Comissão Europeia irá rever e alterar o regulamento feito em 2009.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s