Nacional

A Serra Sagrada

Serra de Sintra, também, conhecida como o Monte da Lua é o prolongamento da cordilheira da Serra da Estrela, que termina no Cabo da Roca, assinalando o limite ocidental europeu.

Sintra e a sua serra, vivenciada desde as mais remotas idades, foi-se encorajando em sucessivas manifestações estética e artísticas que, potenciadas por um saudável clima, incentivaram a construção de uma paisagem paradigmática na geografia mundial.

Sintra, onde as exuberâncias naturais e as arquitetónicas se fundem, por vezes, em extravagantes ensaios de mil e um verdes.

Tal como outras serras, a Serra de Sintra é oca no seu interior, formada por diversos túneis e grandes galerias, construídos pelos Mouros e pelos Templários há cerca de oito séculos.

10_632418284271250000_Serra de Sintra com castelo dos mouros

Castelo dos Mouros, Serra de Sintra

Quando D. Afonso Henriques tomou o Castelo dos Mouros, situado no alto da serra, já não encontrou nenhum mouro pois, todos tinham escapado por uma passagem secreta que ia dar a um de muitos lugares no sopé e outros que se estendiam por vários quilómetros até ao mar.

“Tudo isto, aqui debaixo, tem subterrâneos. Um deles vai ligar ao Convento dos Capuchos, que fica a oito quilómetros daqui, e outro termina perto de Rio de Mouro, mesmo junto ao ribeiro que passa naquela povoação”, garante Abílio Duarte, guarda reformado em regime de voluntariado no castelo.

Outras galerias descem pelo interior da montanha até ao Palácio da Vila de arquitetura moderna mas enigmática, tal como o Palácio da Pena, no alto da serra, construído entre os séculos XIV- XV.

Palácio da Vila, Sintra

Palácio da Vila, Sintra

Também a “Quinta da Torre”, mais conhecida como a Quinta da Regaleira, próxima do Palácio de Seteais, é outro local onde existem passagens subterrâneas que formam uma rede de túneis antigos, surgindo numa das grutas uma imagem de pedra cor-de-rosa de um ser com aspeto feminino pisando um animal parecido com o mitológico dragão, só que exibindo certas formas humanas.

palacio-quinta-da-regaleira-g

Quinta da Regaleira, Sintra

Ainda na Quinta da Regaleira existe um “poço iniciático” com 30 metros de profundidade e 6 de largura com uma escada em caracol com 139 degraus apoiada em colunas. No fundo deparamo-nos com mais passagens secretas reforçando a ideia de que tantos buracos não foram abertos por acaso.

images (2)

Quinta da Regaleira, Sintra

Alguns teosofistas e ocultistas afirmam que a Montanha Sagrada pode ser uma das Cem Portas que dá acesso ao mítico Reino de Agharta no interior da Terra onde reside o “Rei do Mundo”.

A Serra de Sintra parece estar ligada internamente ao “Paraíso Perdido” de Agharta, tão conhecido pelos monges budistas (indianos e tibetanos).

Outra foi a descoberta na Serra de Sintra, de duas lápides, importantes, escritas em sânscrito (idioma nunca falado na Europa), trazidas de Somnath-Patane pelo vice-Rei da índia D. João de Castro, contando a história da união do Oriente com o Ocidente.

Existe também uma profecia lapidar da serra que diz: “… em Portugal se nasce por castigo ou por missão”.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s