Nacional / Notícias

Provedor de Justiça quer saber se o Metro de Lisboa já está mais acessível

As inspeções feitas no ano passado pela provedoria da justiça indicaram como falha a inexistência de um plano de evacuação de passageiros com mobilidade reduzida.

Provedor quer que o Metro sinalize todas as anomalias identificadas nos terminais(Fonte: http://blog.olhares.com/)

Provedor quer que o Metro sinalize todas as anomalias identificadas nos terminais
(Fonte: http://blog.olhares.com/)

As inspeções feitas no ano passado pela provedoria da justiça indicaram como falha a inexistência de um plano de evacuação de passageiros com mobilidade reduzida.

O Provedor de Justiça deu seis meses ao Metropolitano de Lisboa e à autarquia para comunicarem as medidas de acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida.

O relatório da Provedoria de Justiça, realizado em meados de Novembro, deu conta de que o Metropolitano de Lisboa não tinha um plano de evacuação para passageiros de cadeira de rodas em situações de emergência, nem previa a retirada de passageiros a partir do interior das carruagens.

As inspeções feitas pela Provedoria de Justiça tinham como objetivo averiguar as condições de acessibilidade para as pessoas com mobilidade reduzida, especialmente os portadores de deficiências e os idosos.

Na altura da inspeção, a Provedoria disse ser necessário elaborar um “protocolo de colaboração com as forças de segurança e com o Regimento de Sapadores Bombeiros de Lisboa, de forma a acautelar a realização periódica de simulações de acidentes e de ações de formação aos respetivos funcionários e para o estabelecimento de preventivos de articulação e sinalização, em caso de emergência”.

Agora, o provedor Alfredo José de Sousa pede que o presidente do conselho de administração do Metropolitano de Lisboa e o presidente da Câmara Municipal de Lisboa lhe comuniquem o resultado das diligências na sequência do relatório.

Alfredo José de Sousa afirma ter considerado “muito satisfatório o acolhimento genérico” das propostas feitas por si, mas insistiu ao Metropolitano de Lisboa que é importante que todas as anomalias identificadas nos terminais sejam sinalizadas e que essa informação seja disponibilizada via Internet.

Catarina Castro

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s